Pix em dólar: será possível?

Se você é uma pessoa que gosta de frequentar cassinos online e de desfrutar dos seus benefícios, certamente já experimentou as transações via Pix. Esse método de pagamento revolucionou a vida financeira dos brasileiros e chegou também aos cassinos online, que adotaram esse método e realizam suas transações bancárias de pagamento de seus clientes via Pix. Essa escolha propiciou experiências mais satisfatórias para os clientes, pois esse método é rápido, eficiente e seguro.

Como o mundo está em constante evolução e as tecnologias continuam mudando em busca de melhorias, existe a possibilidade de se fazer transações internacionais no Pix, na moeda norte-americana, o dólar. Essa alternativa facilitaria as transações entre diferentes países e proporcionaria uma segurança e eficácia maior para estes pagamentos.

E onde entram os cassinos online nessa história? A concretização desse novo método implicaria em pagamentos mais rápidos e com menores taxas de câmbio, já que seria feito de forma automática do cassino para a conta do jogador. Porém, antes de entender a extensão do Pix, vamos compreender a sua trajetória.

A história do Pix

O método de pagamento tem seus primórdios de idealização no ano de 2016, quando o Banco Central começou seus projetos e estudos sobre a criação de um meio de pagamento capaz de realizar transações instantâneas e de forma segura. A ideia seria transformar o mercado financeiro brasileiro com um meio de pagamento mais eficaz, que fosse feito de forma rápida, prática e sem a cobrança de taxas.

Esse é um dos maiores diferenciais do Pix, pois outros métodos de pagamento envolvem a cobrança de custos por transação, além de geralmente levarem mais tempo para se concretizar. Com o passar dos anos, a ideia foi maturando, por meio de estudos e pesquisas colaborativas, até chegar na proposta final, que foi implementada em 2020. No ano de 2017, o Banco Central deu início a estudos aprofundados, com a parceria de outras instituições financeiras e integrantes de outros bancos centrais, com o intuito de trazer mais robustez ao projeto e fundamentos seguros.

Após inúmeras reuniões e estudos, finalmente a proposta do novo método de pagamento foi enviada para a diretoria do Banco Central analisar. Tendo sido aprovado pela diretoria, coube à presidência da instituição verificar o projeto e dar um veredito. Com tanto trabalho árduo e dedicado envolvidos em sua elaboração, a proposta foi aprovada com sucesso e pôde ser encaminhada para fases de implementação.

Assim, em outubro de 2020, foi liberado o cadastramento das chaves para utilização. Após esse período, foi dado início a fase de testes da ferramenta, que ocorreu entre 5 e 15 de novembro de 2020. Essa fase de testes foi essencial para que o Banco Central analisasse seu funcionamento e identificasse possíveis falhas de execução. Com o êxito do projeto, em 16 de novembro desse mesmo ano foi lançado o Pix para uso integral pela população. A partir de então, essa ferramenta se enraizou no cotidiano dos brasileiros e se estendeu no mercado financeiro do Brasil, trazendo maior liberdade e facilidade na hora de realizar pagamentos e transações.

O Pix Internacional – como vai funcionar?

Com menos de três anos de atividade, o Pix segue revolucionando as transações financeiras e inovando cada vez mais. Apesar de seus vários benefícios, ele ainda possui uma limitação: as transferências de dinheiros só podem ser realizadas entre contas que possuam sede no Brasil. Ou seja, os brasileiros não podem fazer pagamentos ou receber dinheiro de contas bancárias dos Estados Unidos ou da Europa, por exemplo.

Pensando nessa questão, surgiu um projeto que busca implementar um sistema similar ao Pix, mas que funcione para operações bancárias internacionais. Esse projeto está sendo estudado e planejado pelo Banco de Compensações Internacionais, também conhecido como “banco dos bancos centrais” por regular, mediar e estabelecer regras de funcionamento para os bancos do mundo inteiro.

O projeto é denominado Nexus e segundo o economista João Paulo Weller relatou em matéria da revista Exame, ele tem o intuito de solucionar três problemas atuais das transações internacionais: conversões entre câmbios mais rápidas, criação de uma linguagem que conecte diversos sistemas bancários pelo globo e a implementação de medidas de segurança para combater o uso ilícito.

A ideia é que esse sistema crie APIs (espécie de “tradutores”, que podem conectar softwares, sistemas e até mesmo aplicativos), que irão conectar bancos centrais e então transmitir para os bancos internos de cada país. As operações devem estar disponíveis para realização a todo instante, como é com o Pix aqui no Brasil – todos os dias, 24 horas, de forma rápida e segura – com a diferença de serem realizadas entre contas bancárias de países diferentes.

A ferramenta Nexus ainda está em planejamento e em fase de testes em três países, mas estima-se que ela seja disponibilizada para testes para 60 países, entre o final de 2023 e início de 2024. No entanto, não há uma data específica estabelecida. Apesar de seu funcionamento ser bem próximo do Pix brasileiro, uma diferença esperada é de que haja um certo custo por transação, afinal, as transações internacionais envolvem muito mais logística. Porém, em comparação com os métodos dessa categoria disponíveis, como o SWIFT, por exemplo, ele teria um custo mais acessível.

Influência do Pix internacional nos cassinos online

Para os cassinos que pagam via Pix, essa nova ferramenta poderia ser muito eficiente. Isso porque, com a ferramenta Nexus, os cassinos sediados fora do país não irão precisar intermediar os pagamentos com bancos brasileiros e poderão operar de forma direta. Apesar do possível custo, a expectativa é de que ele seja acessível e muito mais rápido. Assim, os pagamentos e depósitos dos usuários dos cassinos podem ser mais ágeis e não precisam de intermediários entre os bancos.

Com tanta inovação e tecnologia, a experiência dos jogadores será transformada e cada vez mais atenderá as necessidades dos usuários. Para as interfaces de entretenimento que acompanharem essas evoluções, as vantagens serão maiores e proporcionarão mais benefícios, além de tornarem os serviços oferecidos mais eficazes e práticos.

Perguntas frequentes

Posso usar o PIX em dólar?

No momento, não, mas isso está sendo trabalhado e em breve estará disponível para todos.

Por que não posso enviar o PIX internacionalmente?

Porque esse sistema de pagamento foi criado pelo Banco Central do Brasil com a intenção de ajudar os brasileiros, não de enviar dinheiro para o exterior. Mas em breve será possível fazer envios internacionais em dólar.

Que moeda é usada atualmente nas transações do PIX?

A moeda usada nos sistemas PIX no momento é, obviamente, o Brasileiro Real.

Os pagamentos internacionais com o PIX são rápidos?

É claro que os pagamentos com o PIX são sempre muito rápidos e eficientes.

Com uma paixão por jogos de cassino e um profundo conhecimento do método de pagamento Pix, Daniel Barreto é o nosso especialista de confiança. Sua experiência na indústria de cassinos e sua expertise em Pix garantem que você obtenha informações valiosas para aprimorar sua experiência de jogo e simplificar suas transações financeiras.