Como deverá funcionar o Pix automático em 2024?

Se você é brasileiro, certamente, em algum momento da sua vida, você realizou alguma transação via Pix. Esse método de pagamento foi implementado no país em 2020, quando seu uso acabou se tornando cada vez mais recorrente e comum entre brasileiros, facilitando a forma como os pagamentos são realizados, tornando-os mais seguros e instantâneos.

Desde o seu estabelecimento, algumas melhorias e funcionalidades foram adicionadas pelo Banco Central, visando tornar a ferramenta ainda mais funcional e eficaz. Uma dessas mudanças previstas é a função do Pix automático, ainda que o Pix não possa, completamente, substituir o dinheiro físico. Com tanta expectativa sobre essa alteração, muitas dúvidas sobre seu funcionamento podem surgir. Para auxiliar no processo de conhecimento, nossa equipe preparou e trouxe as informações mais relevantes que você precisa saber sobre esse tema.

A trajetória do Pix até aqui

Antes de compreender as mudanças previstas, é importante relembrar a história do Pix e suas significativas consequências. Essa ferramenta inovadora foi implementada em novembro de 2020 pelo Banco Central do Brasil e desde então vem conquistando mais usuários e adeptos.

O projeto teve seu início em 2016, mas só foi finalizado e posto em prática em 5 de outubro de 2020, quando foi liberado o acesso para o cadastramento de chaves. Depois, entre 5 e 15 de novembro, deram início à fase de testes da ferramenta. Durante esse período, o Banco Central analisou o funcionamento do Pix e se preparou para realizar a detecção de falhas no sistema. Após esse processo, o uso foi liberado integralmente para uso da população depois da metade de novembro de 2020.

A partir de então, os pagamentos foram revolucionários no cotidiano dos brasileiros. Quitar os débitos se tornou mais fácil e rápido, sendo feito de forma instantânea e sem a cobrança de taxas. Porém, o Banco Central está buscando melhorar a ferramenta, tornando-a capaz de ser mais completa e eficaz em atender as necessidades dos usuários.

Detalhes do funcionamento do Pix automático

A teoria por trás dessa funcionalidade está baseada na fixação de pagamentos automáticos, que possuam certa periodicidade definida. Bem próximo do que é o débito automático já utilizado. A principal diferença entre o Pix automático e o débito automático é que este último depende de convênios com outras instituições.

Assim, esses pagamentos iriam debitar de forma automática da conta, por meio de uma autorização prévia do usuário, o que facilitaria ainda mais a forma como os pagamentos podem ser realizados. Essa autenticação seria necessária apenas uma vez, que pode ser revista ou alterada a qualquer momento pelo usuário, à medida que ele for utilizando a ferramenta ou for quitando suas contas. Outro detalhe importante é o fato de que essas operações não terão nenhum custo para os usuários das contas, mas é provável que as empresas filiadas precisem arcar com algumas despesas para o Banco Central.

A novidade já vem sendo discutida

Recentemente, o Banco Central anunciou um ajuste no calendário do lançamento dessa nova funcionalidade. Antes, ele estava previsto para abril de 2024. Agora, esse prazo foi estendido para outubro, um adicional de 6 meses. Esse aumento se deve ao fato de que a proposta envolve um desenvolvimento minucioso e colaborativo, pois envolve o Banco Central, instituições financeiras e de pagamento e as empresas interessadas de vários setores.

O espectro de serviços que poderão ser pagos com o Pix automático é abrangente e possibilita várias possibilidades. Confira a seguir:

  • Contas de serviços públicos, como de água, energia e de telefone;
  • Serviços por assinatura, como os streamings, jornais e portais informativos e internet;
  • Mensalidades, como de planos de saúde, academia, condomínio e escola;
  • Serviços financeiros, como consórcios, financiamentos, empréstimos e seguros.

A ideia do Pix automático é implementar esses pagamentos mensais sem a necessidade de realizar verificações e autenticações a cada transação. Uma possibilidade de cadastramento dessas contas é por meio do código QR que poderá vir vinculado às faturas. Essa ferramenta prevê uma maior facilidade e praticidade nos pagamentos, podendo ser amplamente utilizada para quitar contas e dívidas.

Segurança

Um quesito importante a ser considerado na elaboração desse upgrade na ferramenta é a segurança dessas transações automáticas. Elas devem ser devidamente asseguradas e planejadas para funcionar plenamente e não acarretar nenhum prejuízo para os usuários.

No dia 03 de outubro deste ano, foi realizada uma reunião entre os membros do Fórum Pix, na qual o Banco Central e demais instituições financeiras participantes discutiram sobre a possibilidade de se adotar um canal de denúncias contra fraudes como melhoria de segurança. No início, essa medida seria somente uma recomendação. Posteriormente, seria considerada uma obrigatoriedade para os aplicativos de bancos.

Será o fim do DDA e do débito automático?

Estes dois métodos, o DDA e o débito automático estão em utilização no mercado desde antes do Pix e possuem uma funcionalidade bem próxima da proposta do Pix automático. Com o lançamento dessa nova funcionalidade, surgiu a dúvida sobre a possibilidade do Pix automático substituir seus predecessores. De fato, o Pix automático pode substituir os seus predecessores?

  • O DDA (Débito Direto Autorizado) é uma funcionalidade que busca e reúne todos os boletos emitidos no CPF do usuário, permitindo que ele autorize a agende o pagamento automático para a data mais conveniente.
  • Já o débito automático é realizado apenas com instituições que possuam consórcios com bancos, como as empresas de água e energia, por exemplo. O pagamento é debitado automaticamente da conta-corrente do usuário.
  • Nesse sentido, o Pix automático surge como um método mais abrangente e eficaz de pagamentos, pois não se restringe somente às instituições com consórcios, mas trabalha com inúmeras empresas que buscam facilitar os pagamentos e simplificar a vida dos usuários.

De um modo geral, a expectativa é de que o Pix automático seja muito bem recebido pelos brasileiros e tenha uma boa aceitação. No entanto, afirmar que o débito automático e o DDA se extinguirão é uma afirmação pouco precisa, pois cada um dos métodos possui sua funcionalidade e necessidade. É bem provável que a flexibilidade e facilidade dessa automatização do Pix atraiam mais usuários e se mostrem como uma grande vantagem competitiva perante os demais meios. Além disso, não se pode esquecer da crescente demanda por métodos de pagamento inovadores, como aqueles utilizados por cassinos que pagam via Pix.

Perguntas frequentes

O que é o PIX Automático?

O Pix Automático, também conhecido como Pix Recorrente, é um método de pagamento que facilita cobranças recorrentes através do sistema Pix. Essa opção de faturamento é ideal para empresas que oferecem produtos ou serviços com cobranças regulares, proporcionando flexibilidade para realizar faturas mensais, quinzenais, bimestrais ou em qualquer outro intervalo de preferência.

Quando o PIX Automático será lançado?

No momento, o lançamento está programado para abril de 2024.

Quais serão as vantagens?

Ele facilitará muito o pagamento mensal automaticamente, será muito fácil de usar e muito econômico.

Quais custos o Pix Automático terá?

Vale ressaltar que o Pix Automático será gratuito para o pagador e poderá ter custos para a empresa que o recebe. O usuário pagante poderá usufruir de diversas funcionalidades para gerenciar pagamentos recorrentes, incluindo a capacidade de definir um limite máximo no valor da parcela a ser debitada.

Com uma paixão por jogos de cassino e um profundo conhecimento do método de pagamento Pix, Daniel Barreto é o nosso especialista de confiança. Sua experiência na indústria de cassinos e sua expertise em Pix garantem que você obtenha informações valiosas para aprimorar sua experiência de jogo e simplificar suas transações financeiras.